23/03/2017

Todos só querem "amar"

Chega a ser até mesmo um pouco desesperador. Em todo o lugar que eu vou, para todos os lados que eu olho, a mesma cena: Jovens, suspirando por outros jovens.

Seja na escola, no curso, no cinema, no shopping, nas festinhas, nos cafés ou na rua, todos só querem uma coisa:Atenção. É uma necessidade insana de pelo menos por um mísero e momentâneo segundo, se sentir desejado. 

OS JOVENS CONFUNDEM DESEJO COM AMOR.

Eles nasceram na era dos computadores. São absolvidos pelas séries da Netflix e pelo último babado das celebridades direto no Twitter. No Facebook todos estão mudando seus status de relacionamento, e no Insta? As declarações de amor parecem construir um novo conceito: Em vez de flores, cartões e chocolates, agora são relógios, sapatos e viagens.


E em meio a tudo isso, os adolescentes se veem perdidos em meio a um mundo de amores perfeitos. Eles já não estão contentes consigo mesmos, não. Eles precisam do toque, dos beijos e dos abraços. Precisam do afeto de pessoas por quem não tem afeto, para se sentirem amados. Precisam beijar bocas, com a ilusão de felicidade. Precisam vender seus corpos pelo preço de sentir alguma coisa.

Eles já não pensam em moralidade. Eles já não sentem saudade, estão conectados 24h por dia, 7 dias por semana. Eles não deitam na cama e se sufocam com indecisões, mas mentem um para os outros com apenas quatro palavras: Boa noite, te amo.

Não, eles não amam. Eles apenas gostam de dizer isso. Eles gostam de se iludir acreditando nisso. Gostam de pensar que se repetirem vezes o suficiente será verdade. Eles não reconheceriam o amor em frente aos seus olhos.

ELES NÃO SABEM AMAR.

Só sabem querer. Desejar. Agarrar. 

Eles gostam da sensação de escolher alguém 'intocável' para colocarem suas frustrações naquele amor impossível. Na melhor amiga da irmã mais velha, na irmã mais velha do melhor amigo. Naquele garoto de outra escola, que você só viu uma vez e 'nunca' olharia para você. Naquela celebridade do momento com os maiores peitos ou o abdomen mais definido.

Eles não querem admitir o quão preocupados estão com as provas. Se os amigos realmente são amigos. Se estão orgulhando seus pais. Se a economia vai despencar, ou os políticos vão acabar nos ferrando, ou ter que escolher esquerda ou direita - até por que, eles não querem admitir que não fazem ideia do que cada uma significa. Não, em vez disso eles transferem tudo isso para uma paixão impossível e ilusória.

Mas sabem a verdade? O mundo vai seguir girando, e aquela garota mais velha vai se formar, e aquele menino de outra escola vai mudar de cidade, e você nem vai lembrar deles depois disso, por que você os amava TANTO que assim que eles saíram de circulação vocês os trocaram por outros. E assim vai ser até que um dia vocês estejam casados com alguém que vocês não amem, com pequenos filhos prodígios que vivem em um mundo digital sem vida, sem saber o que é o amor de verdade. 

Os jovens tem que parar de se deixar ser bombardeados por toda essa mídia apaixonativa. Quantos jornalista você segue no Facebook? Quantos sites de informação no Twitter? 

Esse é o mundo real. Essa é a verdade. O amor é real, mas não é a isso que o mundo se resume. 

Os Jovens Precisam Amar a si Mesmos.

Mas de verdade, e não apenas da boca para fora. Eles não precisam gostar do que veem no espelho, das roupas no armário ou dos sapatos que usam, mas precisam entender que eles não precisam que alguém os "ame" para serem felizes. Eles não precisam pegar dezenas de pessoas em uma noite para se sentirem completos. Eles não PODEM culpar tudo que vai bem ou mal na sua vida por conta dos atos dos "crush's"

ATT. Meewy Wu

Nenhum comentário:

Postar um comentário